Plantão

domingo, 5 de junho de 2011

2,5 mil jovens são contaminados pelo HIV diariamente no mundo

Foto: Wilson Dias/ABr
Todos os dias, cerca de 2.500 jovens são infectados pelo HIV em todo o mundo, de acordo com um relatório divulgado pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV e Aids (Unaids) em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros órgãos internacionais.

A publicação indica que a prevalência do HIV entre jovens caiu pouco e alerta que as adolescentes enfrentam um risco desproporcional de infecção por conta de sua vulnerabilidade biológica, da desigualdade social e da exclusão.

De acordo com o relatório, pessoas com idade entre 15 e 24 anos concentram 41% das novas infecções entre adultos com mais de 15 anos em 2009. Em todo o mundo, cinco milhões de jovens viviam com HIV no mesmo período. A maioria deles vive na África subsaariana, é mulher e não sabe que foi infectada.

A publicação destaca que o início da adolescência é um momento oportuno para frear a epidemia de aids no mundo – já que é o período que antecede o início de uma vida sexual ativa. O documento elogia medidas adotadas em países como a Tanzânia, onde a ideia de homens que buscam relacionamento com meninas muito novas se tornou algo a ser ridicularizado.

Diagnóstico tardio ainda é um complicador

O Brasil é um dos poucos países que desenvolvem produção e distribuição de testes rápidos de diagnósticos de HIV para a população. Ainda assim, o diagnóstico tardio representa um dos maiores problemas no enfretamento da aids, segundo especialistas na área e organizações da sociedade civil.

O gerente do Programa de Reativos para Diagnóstico do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Biomanguinhos), da Fundação Oswaldo Cruz, Antônio Ferreira, ressaltou que nos últimos anos foram muitos os avanços, mas reconhece que o diagnóstico tardio é um desafio para as autoridades brasileiras.

“Acho que essas ações de incorporação de testes rápidos, os antirretrovirais, certamente contribuem para minimizar o problema, mas não dão conta de resolver tudo. Apesar do trabalho excepcional do Ministério da Saúde nesse segmento de DST [doenças sexualmente transmissíveis] e aids, ainda há necessidade de reforço pesado em educação e prevenção”.

Dados do Ministério da Saúde indicam que a média nacional de mortes é de 6,1 por 100 mil habitantes. Uma pesquisa recente da Universidade de São Paulo (USP) mostra que 40% da mortalidade por aids no Brasil estão associadas ao diagnóstico tardio, concentrado em residentes das regiões Norte e Nordeste, pessoas que têm menor acesso aos serviços de saúde.

A Biomanguinhos produz anualmente mais de 2 milhões de testes rápidos de triagem de HIV para ser distribuído pelo Ministério da Saúde. A partir de agosto, a Fiocruz passará a disponibilizar também testes rápidos de confirmação de aids. “Estes testes que vamos implantar a partir do segundo semestre vão ser uma contribuição muito importante no combate à aids, pois o resultado sai na mesma hora e a pessoa já pode iniciar o tratamento. Existem muitos casos de pessoas que fazem o exame, mas não voltam para buscar o resultado”.

Os testes confirmatórios são direcionados para pessoas que já obtiveram resultado positivo de HIV e a produção do kit será 150 a 200 mil por ano, segundo o funcionário da Fiocruz. As informações são da Agência Brasil.

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Copyright © 2013 H de Homem
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates