Plantão

sábado, 1 de maio de 2010

TV argentina mostra primeiro beijo gay (e muito mais) em telenovela


Há dias estou para falar de um assunto que tem agitado o mercado televisivo na vizinha Argentina. A emissora Telefé colocou no ar cenas de beijo e sexo gay entre os personagens Flaco e Lalo na novela Botineras (Marias-chuteiras), vividos respectivamente pelos atores heterossexuais Cristian Sancho e Ezequiel Castaño. O que a TV brasileira adia há tempos mostrar, colocou a dupla na capa de diversas revistas e em programas de entrevistas, aumentando a audiência da produção.



Na cena do beijo, o famoso jogador de futebol bissexual Flaco entra no vestiário e começa a consolar Lalo, que está desesperado e chora com medo de ser acusado pela morte da personagem Giselle (Florencia Peña), da qual gira a trama. Entre um conselho e uma palavra de afeto, os dois acabam se beijando. Para a revista Caras, Sancho classificou como "intenso e verdadeiro" o beijo e destacou que "jamais tinha beijado outro homem na vida".



Já a cena da primeira transa mostra um despindo o outro e termina com a câmera captando do alto a imagem da dupla sem roupa e abraçada. Agora a história abordará os conflitos de Flaco, que querer amar Lalo sem machucar a linda mulher e os dois filhos.

E por aqui

No Brasil, apesar de a TV aberta já ter exibido muito mais que um beijo gay no filme O Segredo de Brokeback Mountain, o tema ainda é tabu nas novelas. Mas fora do horário nobre, as produções nacionais mostraram sem problemas. É o caso da Rede Globo, que mostrou em fevereiro de 2008 o primeiro beijo entre dois homens na televisão brasileira. A cena foi protagonizada pelos atores Guilherme Weber e Pedro Novais, que viviam Benny e Bruno Garcia, respectivamente, na minissérie Queridos Amigos. Pedro, que é escritor, reclamava que não gostaria de escrever textos eróticos para uma revista, emprego conseguido por Ivan (Luiz Carlos Vasconcelos). Benny disse que não enxergava mal nenhum nisso e que poderia até publicar os textos em sua editora, como já havia feito com o livro que Pedro escreveu tratando sobre os porões da ditadura, obra que acabou virando best-seller. Pedro então acusou Benny de oportunista, alguém que usa as pessoas quando pode tirar alguma vantagem. Ele relembrou do telefonema que recebeu de Benny anos atrás, quando o editor estava notoriamente drogado, falando impropérios. Emocionado, Benny disse que, na verdade, havia ligado para dizer que o amava. Em seguida, segurou Pedro e deu-lhe um beijo na boca. O gesto não foi bem recebido e quase acabou em agressão física entre os dois personagens, recorda o blog Universo Mix.

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Copyright © 2013 H de Homem
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates