Plantão

domingo, 7 de junho de 2009

EXCLUSIVO: "caRIOcas" quer mostrar além dos guetos do Rio de Janeiro


A primeira série homossexual nacional, "caRIOcas", produzida pela Cabiria Entertainment, contará a história de cinco personagens Rodrigo, Paulo, Marcos, Caio e Leonardo que vivem no Rio de Janeiro (!) e lidam com temas diversos como família, relacionamentos, preconceito, amizade e sexo. Um dos seus idealizadores, o brasileiro André Mello, conversou com o HdH e garante que o programa vai mostrar além dos redutos gays conhecidos pelos turistas (a praia Farme e a zona Sul da cidade) e a concorrida semana do Carnaval. Confira a entrevista completa.


Confira a entrevista exclusiva com André Mello

Como surgiu a ideia de produzir um seriado gay brasileiro?
A ideia da série surgiu, em parte, da minha frustração com a televisão brasileira e com a falta de programação voltada ao público GLBT e, em parte, com a minha vontade de documentar de certa forma a vida dos homens gays no Rio de Janeiro e no Brasil. Principalmente fora do Brasil, onde eu moro há mais de 13 anos, existe essa ideia de que o Rio é uma cidade liberal onde todos são aceitos e onde não existe preconceito.
Os turistas pensam isso baseado em uma semana do ano (o Carnaval) ou na experiência que tiveram em uma rua da Zona Sul do Rio e em alguns metros de praia (Farme). E apesar da Farme ser um refúgio acolhedor e necessário, o Rio não é somente a Zona Sul, mas sim uma cidade imensa e complexa. É esse Rio que eu quero mostrar em "caRIOcas", não só a elite, mas todas as classes e raças. O objetivo da série é ser inclusivo.

De que forma foi escolhido o título "caRIOcas"? A opção não estaria excluindo os gays de São Paulo, Curitiba, Porto Alegre...?
Eu cresci no Rio de Janeiro e, quando eu vou ao Brasil, é lá onde eu passo a maior parte do tempo. Acho o Rio uma cidade incrível, belíssima e muito rica. O Rio é a cidade que eu conheço melhor e seria não só extremamente ambicioso, mas irresponsável da minha parte, generalizar a vida dos gays em outros estados brasileiros, muitos os quais ainda não tive a oportunidade de conhecer. O Brasil é imenso e diverso e temos que nos conscientizar disso e respeitar a individualidade de cada estado assim como a das pessoas que vivem neles.
O Rio também é o “Brasil” que a maioria dos turistas gays conhecem e amam. Pensamos nos dois mercados na criação das série, o nacional e o internacional. Não estamos excluindo os outros estados, simplesmente criamos um foco bem definido e acredito que o Rio, sendo a cidade internacional que é, servirá de palco para personagens de vários estados brasileiros assim como estrangeiros.

Veja aqui o primeiro trailer de "caRIOcas"


Pelo que foi divulgado até então, a trama envolverá três personagens fundamentais. Como foi definido o perfil de cada um, em que momento se cruzam os destinos e o que o público pode esperar dessa relação?
"caRIOcas" conta a história de Rodrigo, sua familia e seus amigos. Rodrigo volta ao Brasil depois de anos morando em Los Angeles, onde ser gay não é mais um problema ou motivo de vergonha. Ele sente o contraste forte entre os dois mundos e inclusive evita o Brasil a todo custo por que não se sente à vontade no seu proprio país. Rodrigo, a princípio, tem uma opinião sobre tudo e todos e critica seu amigo Paulo, jogador profissional de vôlei de praia por ser enrustido e reprime Marcos por ter um caso com um homem casado com mulher. Ansioso para acelerar a “evolução” da mentalidade dos cariocas, ele acaba se complicando, fazendo que o assistente de Paulo, Caio, adolescente do subúrbio do Rio, seja expulso de casa pela mãe evangélica. Caio é acolhido pela mãe de Rodrigo, Betty, e assim se junta ao grupo.
A escolha do perfil dos personagens foi feita com muito cuidado. Queríamos representar um Rio diverso e não somente um grupo de pessoas ricas da Zona Sul por exemplo. A intenção foi misturar as classes sociais, as raças e orientação sexual. Contamos inclusive com a participação de personagens trans (transexuais) na série, o que acho importante porque os travestis e transexuais são os mais marginalizados de todos nós.
Os personagens também veem e lidam com a sua sexualidade de formas diferentes. Um é super masculino por que está no armário (Paulo), outro é afeminado (Marcos) mas se policia com medo da rejeição do namorado. São temas verdadeiros e tudo é tratado com sensibilidade e com uma dose de humor.

O fato de ser um seriado com temática gay já leva a pensar na erotização. "caRIOcas" focará uma linguagem heterofriendly? Já tem definição da idade para que o programa será adequado? Haverá cenas inadequadas para menores de 18 anos?
Primeiramente, a palavra gay ou ser gay não tem necessáriamento que ver com o erótico ou com o ato sexual. É uma pena que esta associação continue sendo feita. O Rio de Janeiro é uma cidade de praia, onde as pessoas andam de sunga e esse elemento sensual existe porque é uma caracteristica da cidade. Não há cenas de sexo no piloto, mas sim beijos e nada é explícito, gratuito ou de mal gosto. Também vale lembrar que casais hetero de beijam e se pegam na televisao aberta o tempo todo. E nós também temos esse direito e não precisamos ter vergonha disso.
Vou aproveitar a oportunidade para esclarecer que apesar do trailer que está no youtube.com/cariocastv ser sexy, a série não é sobre sexo, mas a questão da descoberta da sexualidade é sim um dos temas abordados na série. A série foi criada para o público adolescente/adulto.

Como se dará o desenrolar da trama? Serão histórias isoladas, como em sitcoms norte-americanos, ou haverá continuidade no enredo, como as soap operas? Quantos episódios serão produzidos para a primeira temporada? Quantos já foram concluídos? O que será abordado no capítulo piloto?
Não é um sitcom e não é uma soap opera. É uma série com um número de temporadas infefinido. Cada episódio tem seu arco dramático, assim como cada temporada. Os personagens evoluem e existe continuidade na história de cada um. A principio, estamos prevendo de 12 a 13 episódios por temporada. O episódio piloto já foi rodado e, como todo piloto, ele apresenta os personagens e seus dramas e dá um gostinho do que está por vir na primeira temporada.

Como estão as tratativas com as emissoras para a veiculação do programa? Há restrições ou preconceito quando vocês apresentam o produto? Por que não exibir em uma emissora aberta?
Seria um sonho poder exibir a série em uma emissora aberta pelo simples fato de que alcançaríamos um público muito maior e isso seria uma oportunidade muito boa para educar a população e derrubar ideias ultrapassadas a respeito da homossexualidade. Acredito que o público brasileiro está aberto para a experiência, mas quanto as pessoas responsaveis pela programação dos canais abertos; precisamos de visionários, mais coragem e mais autênticidade para que isso aconteça.

Entenda a trama de "caRIOcas"


Depois de morar em Los Angeles por oito anos, o escritor Rodrigo, de 26 anos, volta ao Brasil, onde não ia há três anos, para cuidar de uma emergência de família. Do momento em que seu avião pousa na cidade maravilhosa, Rodrigo (André Mello) se sente um turista em seu próprio país. As diferenças culturais entre os Estados Unidos e o Brasil estão mais aparentes do que nunca e tudo parece dar errado; do trânsito infernal ao taxista que cobra de Rodrigo o dobro da tarifa. E o que mais incomoda Rodrigo é que a maioria dos homens gays parecem viver reprimidos ou no armário.

Como se isso não bastasse, seu melhor amigo Marcos (Luciano Sant’Anna) está tendo um caso com Leonardo (Sérgio Menezes- Sinhá Moça, Celebridade, Amor e Intrigas) um homem casado e Paulo (Marcello Melo Jr.- Última Parada 174, Cidade de Deus), jogador profissional de vôlei de praia, dá em cima da praia inteira,mas ignora o adolescente Caio (Dionis Tavares), seu assistente, que está apaixonado por Paulo. Betty (Rejane de Moraes- Carga Pesada, Alta Estação), a mãe de Rodrigo se recupera de uma cirurgia plástica não tão bem sucedida e conta com a ajuda de várias pílulas que a deixam mais louca do que já é.

Desde que chegou ao Rio, Rodrigo vem evitando o seu ex-namorado Felipe (João Victor Lima) depois que eles se viram na praia de Ipanema. Certo de que a sua felicidade está nos Estados Unidos com seu namorado Danny, Rodrigo se recusa a aceitar o seu país e conta os dias para sua volta à Los Angeles. Porém, depois de passar algumas semanas com sua mãe e seus melhores amigos, Rodrigo se apaixona pelo Rio de Janeiro. Ele começa a entender melhor seus amigos, a questionar o rumo de sua vida, onde seu coração pertence e se, a cidade onde nasceu é afinal maravilhosa…

3 comentários:

  1. Parabéns pelo post. Estou ansioso pelo início deste seriado.

    ResponderExcluir
  2. Começa logo... eba. Seria uma imitação do Queer as Folk o tal adolescente?

    Bjs

    Boa Sorte!!!

    ResponderExcluir
  3. Pareceu bem queer as folk a história do adolescente mesmo, mas tem suas particularidades, como uma mãe evangélica por exemplo, afinal nessa vida dificilmente algo se cria, tudo se copia e se transforma, não acho que seja um ponto negativo.
    Não vejo a hora de assistir, será que já conseguiram algum avanço na negociação com as emissoras?
    Sucesso!!!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Copyright © 2013 H de Homem
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates